Uma ilha de amor

Uma ilha de amor dentro da gente

Ficar sozinha não é solidão. Solidão é quando você não consegue encontrar nem a si mesma para fazer companhia. Mas sempre tem um jeito de reencontrar seu self e fazer as pazes com ele.

Eu gosto de ficar comigo. Não sei o quanto sou capaz de entreter os outros, mas me divirto demais em minha própria companhia. Invento coisas para fazer, crio brincadeiras e desafios, dou risada sozinha.  Comigo não existe tédio, eu me distraio sempre. E, se não tiver nada pra fazer, penso, medito, descanso, deito e observo a janela, mesmo quando não tem nada ou ninguém passando.

Nesse sentido sou igual ao meu cachorrinho Max,  exceção feita ao fato de que não corro atrás do meu próprio rabo nem lato para minha imagem no espelho. Quer dizer, já fiz isso, mas agora não faço mais.

Esse sentimento de se sentir confortável dentro de si mesma e de ter alegria em se conhecer é o que chamamos de autoestima. É o bem-querer que se tem por si mesma, o respeito, o cuidado com todo esse complexo chamado ‘eu’ , que engloba nossa alma, nosso espírito, memórias, sentimentos, pensamentos, histórias e o templo onde tudo isso habita, nosso corpo.

Muita gente associa ‘autoestima’ apenas com a aparência externa. Claro que isso também faz parte. É uma delícia sair do salão depois de um corte de cabelo, um trato nas unhas, uma massagem  completa. Mas autoestima é muito mais do que beleza e imagem, é a qualidade da relação com a única pessoa com quem você vai conviver da primeira à última respiração: você.

Ter uma boa autoestima leva você a ganhar a coisa mais importante do mundo, junto com a liberdade, a autonomia. Autonomia é ser capaz de cuidar de si mesma. É aquele conjunto de recursos que permite que você sobreviva sozinha numa ilha deserta, pescando o peixe, fazendo a fogueira e assando seu almoço. Construindo seu abrigo e se protegendo dos perigos.  Descobrindo caminhos do autoconhecimento para poder conviver e ter, pelos outros, o mesmo amor e respeito que você tem por você.

ROSANA HERMANN Escritora, corredora e tricoteira, sempre ligando pontos e tecendo considerações. rosana@gmail.com
Voltar

Compartilhe com seus amigos

8 Comentario(s)

Sofia Martins disse:

Ao fim de quase meio século, dou por mim ainda a procurar o que afinal tenho em mim!! Grata!! 💗

Luiz Fernando Pini disse:

Ter paz e viver está paz é tudo de bom.

Anamaria Cardoso Menezes disse:

Realmente, nessa quarentena,e sozinha,orando pelo mundo, e pedindo à Jesus, e aos bons e tantos outros Deuses, que habitaram em milhões de anos atrás em nosso velho mundo, a cura para essa doença devastadora . Eu , morando desde os anos 70, num bairro tranquilo, da zona norte do Rio, e tendo apenas um cão como companhia no momento; tive sensaçâo de caos, tristeza e solidão muito grande. Amigos e família, só por telefone, e pelas redes sociais. Me distraio algumas horas por dia com eles. E observo meu cão. Como ele me ama e se preocupa comigo. Me segue o dia todo, onde quer que eu vá.
Sozinha em casa, e com um amigo desses, me sinto cheia de energia, feliz e amada. Aprendi à ser mais gentil comigo mesma, levar uma vida mais leve e feliz. Pretendo não viver comprando tanta coisa
kkk doar um pouco para quem não pode comprar. Me descobri com um mundo de coisas, kkkkk talvez pense um pouco em adquirir menos roupas e sapatos, pois o que tenho , talvez seja suficiente para viver para o resto de minha vida. Tenho 67 anos. Sou bem cuidada, e ao longo também da idade, já com tantas perdas, licões, e amores malfadados. Sei que se não me amar e não me sentir plena como pessoa, e criatura de Deus, nunca atingirei essa esperada por todos, um pouco de sabedoria, e gratidão, por estar ainda viva e com bom aspecto e relativa saúde. Observo de novo meu cão e sinto, ele é feliz com minha companhia, tem 11 anos, kkkk penso……tentar aprender com a já sabedoria dele. Talvez eu consiga um dia. Paz e amor para todos

Lucinda Caetano Vieira disse:

Sozinha sentimentos o quanto somos importante, assim nos sentimos mais alegre nesse momento tão difícil que estamos passando. Com Deus tudo vai passar.

NEUSA Fernandes da Silva disse:

Exatamente isso! Rio de mim mesma, de pensamentos bizarros que permeiam minha mente,de vez em quando, vivo,e sobrevivo ao caos o tempo escoa e vamos em frente pois esse não para para ninguém!

Márcia Valdênia disse:

É tão engraçado que só passamos a nos conhecer melhor, a nos amar mais, a nos reconhecer, quando tiramos um tempo ou somos “forçados” a ficar a sós, é quando voltamos para dentro de nós e reconhecemos nosso verdadeiro valor…..

Sergio disse:

Qusando tomamos consciência que a Solidão é o melhor momento de Valorizarmos nossa Auroestima . É o Nirvana.

Benedicta Antonia de Carvalho disse:

O , ser , estar comigo mesma
Dependendo única e exclusivamente do ( eu , eu) comigo mesma
Sou aquarina
Tem momentos que necessito estar só
Viver com o outro e estar só , preferi estar comigo mesma
Obrigada gratidão sempre paz e luz 🥀❤️😘❤️❤️❤️❤️🍀❤️🍀🍀

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Alimentação