E se tivesse superpoderes?

Não gosto de poder. Não gosto de mandar, nem de obedecer. Sempre achei que pessoas que buscam loucamente o poder são pessoas infelizes em busca de um antídoto para seus males. Mas, e superpoderes? Se você tivesse um deles, você seria uma pessoa melhor?

Tem horas que dá vontade de sair correndo. Ou xingando. Ou ambos. Tem períodos da vida que as coisas ficam tão nebulosas, emperradas, que temos a sensação de que nunca mais nada vai dar certo. Claro, a gente sabe que tudo passa, que é uma fase. Mas atravessá-la requer coragem e muita, muita fé na vida.

Depois que a tormenta passa é fácil entender a naturalidade dessas tempestades, mas quando estamos bem no meio delas, sem vista para a luz do final do túnel, o desejo que vem é de ter poderes mágicos e resolver tudo na base da fantasia. Imagine, ser capaz de dizer palavras estranhas que alterem o curso dos fatos, ter o poder de voar e bater asas pra bem longe, ter o dom da vidência para ver a saída do labirinto. Só que nada disso existe fora da nossa imaginação.

Mas…. e se existisse? Será que conseguiríamos conter nosso impulso e usar os poderes pra destruir uns e outros na hora da raiva ? Será que controlaríamos o desejo de alterar o curso do destino apenas para nosso benefício? Os superpoderos nos tornariam mais justas ou nos corromperiam?

Difícil dizer. Mas, se o poder corrompe, imagine o superpoder! Por isso, talvez o melhor seja voltar pra Terra, botar os pés no chão, exercer a paciência e esperar que as coisas melhorem, que a gente se acalme, que as pessoas se entendam e que o amor, sobreviva.

Estamos na era da exibição. Todo mundo posta selfie, todo mundo manda nudes, todo mundo se expõe. Que bom. Viver em transparência, botar a cara no sol é libertador. Não importa o limite em que isso é feito, porque cada um tem o seu. Pode mostrar seu talento, pode mostrar seu desejo, pode expor suas inquietações, suas dúvidas, seus erros. Não importa. O que importa é que quem quiser se exibir pode e deve, tem todo direito, em todos os sentidos, não apenas fisicamente, mas intelectualmente, espiritualmente, do jeito que você quiser.

Todo mundo tem seu brilho, em maior ou menor grau.  E, cada um de nós tem momentos em que estamos mais inspirados, mais iluminados e dá vontade de sair por ai jogando energia com uma estrela, como um sol. O problema é que quando você está irradiante muito, sempre vai ter alguém pra se incomodar. Em geral as pessoas que se incomodam ainda não encontraram sua luz interior e, porque se sentem apagadas, tentam fazer o mesmo com você. Não permita. Não aceite ser menos do que você é. Brilhe tanto quanto você for capaz. Negar sua natureza por causa do incômodo que o outro pode sentir não tem sentido. O incômodo do outro é problema dele, não seu.

Que fique então a regra de ouro: brilhe tudo o que você puder.
E, se alguém tentar censurar, reprimir ou apagar você.
Se o outro não aguenta seu brilho, mande ele botar óculos escuros.

ROSANA HERMANN Escritora, corredora e tricoteira, sempre ligando pontos e tecendo considerações. rosana@gmail.com

Voltar

Compartilhe com seus amigos

2 Comentario(s)

Rafael Farias disse:

Voaria igual ao Goku do Dragon Bal Z , e seria um Saiyjin c/ poder e voador …..kkkkkk
Um Super Saiyjin God Blue…..kkkkk
P/ isso teria que evoluir, ser suscetível, como Charles Darwin diz :
” Não sãoas espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes e sim as mais ” suscetíveis ” a mudanças .

WILLIAN VARELLA FIGUEIREDO disse:

Mais uma vez, fabulosa! Que usem óculos escuros, pois, brilharem os sempre!

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Alimentação