Toda crítica é uma confissão

Tudo o que falamos do outro é uma confissão velada. Porque o outro é sempre um espelho que reflete o que não queremos ver em nós mesmos . É difícil admitir isso, mas é libertador. Vale a pena tentar.

Há muitos anos eu moro no Twitter. Doze, pra ser mais precisa. É um lugar onde me expresso, me informo, compartilho ideias, aprendo e faço amizades. Claro, tem brigas e haters de vez em quando, mas o aprendizado compensa até esses pequenos contratempos. O saldo é sempre positivo.

Uma das coisas mais importantes que aprendi “pra vida” foi uma frase postada pela Rose Borges, que ela ouviu em uma palestra, que dizia :

“Toda crítica é uma confissão”.

Na hora que li, doeu. Foi um tapa na cara. Sempre fui muito crítica e esse novo ponto de vista fez com que todos os dedos que um dia apontei para os outros se virassem pra mim no mesmo instante. Foi assustador, mas libertador.

Sem raiva, sem medo, sem me julgar ou culpar, comecei a rever as críticas que apontei nos outros, agora sob a perspectiva do reflexo de cada uma em mim. Foi uma epifania.

Lembrei das vezes em que falei  da roupa de alguma celebridade, porque eu não estava bem com minha própria imagem. Ou de comentários suspeitando da forma como alguém fez uma conquista, provavelmente porque eu me sentia frustrada por não ter conquistado algo que desejava muito. De ter duvidado da capacidade de uma pessoa porque, no fundo, era eu a insegura que não acreditava nas minhas próprias capacidades.

Desde então, compartilho essa máxima com todas as pessoas, mas com delicadez, porque não faz bem pra amizade sair por ai cutucando todo mundo. Se bem que, às vezes, é a forma mais eficiente de acordar pra realidade.

ROSANA HERMANN Escritora, corredora e tricoteira, sempre ligando pontos e tecendo considerações. rosana@gmail.com

Voltar

Compartilhe com seus amigos

13 Comentario(s)

Murilo disse:

Super válido.

Rosana Hermann disse:

Estamos juntos, Murilo!

Rose Borges disse:

Também doeu em mim quando ouvi. Mas gente quinem nós pode até ter medo de se conhecer mas não abre mão mesmo com dor. Beijos, Rosana

Rosana Hermann disse:

A dor de crescer é parte essencial do aprendizado!

Flavia Julie Guimarães disse:

O outro é sempre nosso espelho. Como é dificil e libertador aceitar isso! Beijos amo tudo q vc faz.

Rosana Hermann disse:

Obrigada, Flavia, estamos todas juntas aprendendo!

Luiz Gimenez disse:

Doeu, mas é verdade mesmo!

Rosana Hermann disse:

Sempre doi, mas depois a gente se fortalece com a vedade!

Leticia Lira disse:

Bela dica, vou exercitar. 😉

Rosana Hermann disse:

vamos juntas!

Rosana Hermann disse:

o bom é divulgar pra todo mundo, assim, quando a gente esquece o outro lembra! bjs,

Mpsiq1974 disse:

Freud disse sobre a tematica das projeçoes: “Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo”. Parece obvio mas muitas vezes não nos damos conta…

rosana hermann disse:

Como dizia um professor, o óbvio só é óbvio quando é ressaltado. É preciso reafirmar as verdades. bjs.

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

PETs

Sexo