A filosofia dos gatos

Temos muito o que aprender com a natureza! O ambiente ao nosso redor fala muito de nós mesmos porque, muito mais que seres vivos, somos seres viventes: temos uma trajetória a percorrer e uma história a ser escrita a partir de nossa relação com o mundo em que estamos.

Isso me faz lembrar, com muita propriedade, do universo peculiar dos gatos. Muita gente não os entende, os discrimina. Os felinos são seres dóceis, amáveis, extremamente intuitivos. Não foi um acaso da Criação torná-los animais domésticos e próximos do homem: como na obra do pintor renascentista Michelângelo, tudo se conecta e se relaciona de forma harmoniosa e plena. O Universo parece ter pintado a relação entre os gatos e os humanos para que pudéssemos tirar sábias lições para nossas vidas observando e cuidando deles.

Os gatos já foram de tudo na história da humanidade: benditos, malditos, deuses, demônios. Por que tantas possibilidades e tantas leituras diferentes? Porque os gatos são seres que, sinceramente, nos constrangem. Em sua profunda capacidade de reflexão, eles não se igualam a nenhum dos outros animais domésticos que também amamos. Eles são dengosos, porém independentes. Amam, mas não prendem e não se prendem. Isso às vezes nos perturba, porque temos uma tendência quase viciosa a não sabermos amar sem amordaçar, ter sem reter, dividir sem cobrar.

Talvez estejamos tão acostumados a momentos de impulsividade e explosão que aquele estranho olhar calmo, sereno e pensante dos gatos (uma estranha forma de tentar entender o que ordenamos, antes de simplesmente nos obedecer) nos incomode. Se eles são “domésticos”, por que nos parecem por vezes tão pouco submissos ou mesmo  “domesticáveis”?

Aqui em casa já tive muitos gatos. Hoje tenho uma, a Miu-Miu, que encontrei abandonada em uma estação de metrô. Peguei no colo, comovido com aqueles brilhantes olhos azuis, e a trouxe pra casa. Está aqui comigo há seis anos, e eu tive de conquistá-la para que ela se tornasse a paixão da minha vida que é hoje!

Vamos exercer esse lindo aprendizado? Amar os animais, integrar a nossa natureza à desses bichinhos e, acima de tudo, aprender com eles a priorizar a filosofia que nossa voz interior pode nos oferecer!

Os gatos nos ensinam que o chão não é diferente dos telhados. Ao contrário de nós, eles sabem enfrentar os “altos e baixos” em silêncio, pensativos, reflexivos. Possuem extrema habilidade, mas o seu agir não é superior ao seu pensar. Deve ser por isso que eles sempre “caem de pé”…

– Hélio Ricardo Rainho hrainho@globo.com

Voltar

Compartilhe com seus amigos

6 Comentario(s)

Maria Umbelina disse:

Minha sobrinha, Thaíssa, é uma apaixonada por gatos.
Eles têm vários em casa. Mas o primeiro, o dengo é o Mimo.

Vera RP Sanada disse:

Os gatos são seres especiais, que escolhem com quem querem ficar e aonde. Nos observam, nos acompanham e muitas vezes nos cuidam, Nos amam e nos fazem amá-los!

José rodrigues disse:

Parabens.muito bom eles transmitem serenidade.

Rafael Farias disse:

EStou c/ o meu gatinho c/ sarna, se localiza perto do rabo dele e pegou também até a metadedo rabo.
Gostaria de saber qual remédio usar, pois já usei e ainda uso Shamppoo da Sanol ( me recomendaram ), o sabonete ” matacura ” , e também o Amitraz.
Se conhecerem algum Shampoo ou sabonete, me indiquem …….ok !!
Abraços

José Luiz Bet disse:

Amo os Gatos. Tenho um aqui em casa, está comigo a uns 10 anos ou mais. Tenho fotos dele quando “bebê”, eu o fotografo sempre. Meu companheiro inseparável, me transmite muita paz e alegria.

Regina disse:

São seres admiráveis!!!!

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Relacionamento