Gravidade Zero

Você já deve ter dito e com certeza ouviu gente dizer: “Pára o mundo que eu quero descer!” Tem histórias, músicas, poesias com a ideia de que esse trem não pára de jeito nenhum, a não ser na estação final. E quando aparentemente deu uma parada por causa da pandemia, todo mundo se recolheu e não foi pra lugar nenhum.

E assim a gente aprende a segurar mesmo quando as coisas estão despencando, aprende a ter jogo de cintura, se adaptar, driblar. Encara marcação, obstáculos, adversidades e continua. Vai em frente, segue em movimento e desvia a cada virada do jogo.

Na hora da trégua, quando dá uma pausa, faz bem olhar o céu, o por do sol, a lua, as estrelas. O Espaço. Imaginar o Espaço, essa imensidão infinita, incomensurável.

Esse lugar onde nada pesa, onde se flutua, onde tudo ganha uma nova dimensão.

Eu sempre fiquei maravilhada com imagens do Espaço e fantasiei viagens interplanetárias como a maior aventura possível.

Eu adoro nosso planeta, o encantamento da natureza da Gaia: mares, matas, florestas, nuvens, montanhas, rios, cachoeiras, desertos, toda a riqueza da flora e dessa fauna espetacular, tão variada que a gente nem conhece todas as espécies. Uma aurora boreal de tirar o fôlego.

Sou fascinada pelo espaço. Muitas vezes desejei me lançar numa viagem e sair da nossa estratosfera. Já me vi como astronauta, assistindo todos os filmes e documentários com imagens que habitam o meu imaginário.

A ideia de flutuar num espaço sem densidade, sem peso, numa dança solitária, observando os mais belos fenômenos da galáxia é um sonho. Show de meteoros, estrelas e nébulas, a visão azul da nossa Terra. Vivenciar esse deslumbramento me parecia o auge do alcance humano.

Só que a coisa não é tão simples assim. Você fica confinado num pequeno compartimento, limitado em seus movimentos e quem na verdade flutua, são todas as coisas necessárias que você tenta alcançar.

Foi numa dessas buscas que fiquei fã do Chris Hadfield, astronauta, comandante, piloto e músico.

Ninguém pode cantar Ground Control to Major Tom com mais propriedade do que Chris, nem mesmo o David Bowie a quem eu entrevistei em Los Angeles, pro meu programa Gente de Expressão.

Tem vários vídeos do Chris mostrando como escovar os dentes ou comer na espaçonave. É claro que pode ser divertido no início ver todas as coisas voarem em volta de você e seu próprio corpo flutuando.

Você também pode brincar disso numa mission space, um simulador de vôo espacial, com gravidade zero. Hoje isso já faz parte das ofertas de turismo e diversão nos Estados Unidos.

Mas talvez o mundo com seu imenso desejo de exploração esteja se preparando para que essas viagens se tornem possíveis e os terrestres invadam um novo território, transformem um planeta por aí numa nova e possível segunda chance.

Ainda não sabemos. E pra falar a verdade, certas coisas são melhores nos nossos sonhos. Talvez nossa melhor viagem seja a da paixão que nos faz sentir amorosamente flutuando olhando um céu cheio de estrelas.

PS- Aviso que mesmo a viagem da paixão não é tão simples.
PS2 – Ah, e quem quiser ver minha conversa com o David Bowie, é só entrar no meu Canal do YouTube – youtube.com/brunalombardioficial.

Voltar

Compartilhe com seus amigos

3 Comentario(s)

메리트카지노 disse:

I am sorry that right now that function is not available, but I think there is another way to learn the lessons.
As we have just uploaded all the video lessons (link attached below), your learning will be much facilitated. You can pause and resume as you wish.
My website 메리트카지노

Maria Gorette disse:

Bom dia

Felizcidade em está aqui. Gratidão

Rafael farias disse:

Assista ao filme Gravidade, vai gostar !!

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *