Dilema

Existe um dilema quando se diz:

“seja o que Deus quiser, se for pra ser, será, vamos entregar nas mãos de destino” e aquele conceito oposto de: “se você quiser alguma coisa, tem que lutar pra fazer acontecer”.

Vivemos essa contradição entre a idéia de se entregar nas mãos do já está escrito e a de agir para escrever nosso destino a cada passo.

Estamos todos nessa corda bamba, nesse fio de malabarista tentando nos equilibrar entre o que nos pega de surpresa, sem que a gente possa fazer nada e aquilo que conseguimos manter sob nosso controle.

Essa é uma palavra chave: controle. Para muita gente é imprescindível sentir que tem controle e sem essa rede de segurança vai ficar completamente perdida.

Outros vão levando a vida e deixando a vida levar do jeito que der. Cada um de nós é um pouco dos dois, em diferentes tempos e medidas.

Mas a idéia de não ter nenhum controle para muitos é absolutamente aterradora, como estar na direção de um carro e não poder segurar e a máquina não responder. Aliás, esse é um pesadelo comum pra muitos.
Se você parar um minuto para entender qual dessas duas sensações é a que mais te acompanha, vai descobrir a raiz do que aflige e influencia seu cotidiano.

Temos o poder de agir sobre as nossas circunstâncias, mas apenas até certo ponto. Existe o imponderável e a vida sempre nos surpreende. E isso não é necessariamente ruim. Pois até um acontecimento que parece ruim pode nos conduzir pra alguma coisa melhor.

Quando você se deixa levar pelo mistério da vida, sem querer controlar, sem manter a rigidez e a inflexibilidade diante dos acontecimentos, você consegue se libertar de um medo profundo. Consegue perder a ansiedade e aflição constantes e percebe que é possível deixar fluir.
E nesse momento a fé se manifesta.

Você acredita na força da ação e ao mesmo tempo na entrega de quem se deixa guiar por um poder maior.
E isso deixa de ser uma contradição, pois a cada momento você intui o que fazer. Você compreende que o divino está dentro de você. E você o escuta.

Esse é o Mistério. A sua conexão com esse mistério vai te mostrar um tesouro dentro de você. Você é capaz de ter esse equilíbrio. Você vai saber a hora de agir e a hora de se deixar levar pela entrega. Quando você precisa da vigília da atenção e quando você merece o repouso do guerreiro.
Cada estado de espírito tem seu tempo e seu momento. Hora de lutar e hora de recuar. Tempo de ação e tempo de resguardo.

Não adianta nadar contra a correnteza, você vai exaurir sua força sem chegar a lugar nenhum. Às vezes acompanhando o movimento das aguas, a correnteza ajuda a chegar na margem.
Vivemos essa metáfora sem perceber. Quanto mais formos conscientes desse poder, mais simples será o nosso dilema.

Faça tudo o que estiver ao seu alcance. De resto, confie e deixe a vida te levar. E sempre que precisar lembre essa frase de São Francisco de Assis.

“Senhor, dai-me força para mudar o que pode ser mudado… Resignação para aceitar o que não pode ser mudado… E sabedoria para distinguir uma coisa da outra.“

Voltar

Compartilhe com seus amigos

2 Comentario(s)

Rosa neiva disse:

Maravilhoso

Mara Chaves disse:

Texto maravilhoso

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *