De como combater a barbárie

Acredito que todos nós, em algum momento, sentimos e discutimos o alastramento da barbárie. Ela é combatida desde o início dos tempos, quando a história do mundo começava a ser escrita ou desenhada, ou simplesmente vivida. Gostaria de pesquisar como principia a divisão entre os que buscam evolução, expansão e conhecimento e a tal da barbárie.

Seria como em tantas doutrinas, a divisão entre os espíritos da luz e da sombra? A Idade das Trevas e o Iluminismo?
A separação entre o Bem e o Mal?

Hoje se fala tanto em polarização, parece tão terrível esse embate, mas a barbárie sempre esteve presente. Entre avanços e recuos, a barbárie sempre aparece com muita clareza na História, com suas ações destruidoras, que fizeram desaparecer conhecimento, civilizações, culturas, tudo o que se perdeu e nem deixou vestígios.

Mesmo com todas as nuances que existem entre o Bem e o Mal, sabemos que a maior pandemia de todos os tempos é a Pandemia da Barbárie. Aquela que se perpetua, que destrói em massa, que arranca a raiz do belo da vida.

A onda arrasadora da ganância, ignorância e a mais absoluta inversão de valores que se alastra como lava incandescente, deixando cinzas e terra devastada, ruína e destruição.

Todos os males do mundo decorrem dela, são consequência dela, são as maldições que ela gera. Toda a dor, todo o embrutecimento, violência, brutalidade começam a ser disseminadas a partir da barbárie.

A ignorância é a mãe da barbárie, e dela nascem a escassez, o egoísmo, a ingratidão, a mesquinhez, a deslealdade, a inveja, a arrogância, a injustiça, o ódio, a intolerância. E o resultado é a degradação de um mundo que poderia ser um paraíso.

Com tantos males assim, será que vamos desistir? Vamos perder a esperança de uma vida melhor? Vamos deixar de acreditar que é possível?

Como combater a barbárie? Começando pela que existe dentro de cada um de nós e pode explodir a cada momento?

Se você não entregou os pontos, pode juntar suas forças e se dedicar a tudo aquilo que impede o seu avanço.

A barbárie não suporta a natureza, a beleza, a arte. Não resiste ao conhecimento. Não tolera o indivíduo, com sua busca pela felicidade, sabedoria e ética. Detesta a intuição, criatividade, a essência única e divina.

Não importa em que momento da vida cada um de nós esteja, mesmo na batalha da sobrevivência é possível vislumbrar a luz que abre os caminhos. Mesmo no isolamento podemos nos comunicar, sentir que não estamos sozinhos.

Podemos descobrir uma música dentro de nós que nos eleva em qualquer circunstância, um propósito que não nos deixa cair na cilada do confronto com o outro.

Podemos despertar compreensão, bom senso, a habilidade de buscar paz de espírito nos momentos mais difíceis.
Saber que às vezes somos o colo de alguém e às vezes precisamos do colo de alguém. Podemos ser o abraço de consolo hoje e precisar desse abraço de consolo amanhã.

Saber que podemos ajudar e um dia também sermos ajudados.

Saber que quando o coração tá pleno, cheio de gratidão e de amor, não cabe nem a barbárie e nem a estupidez do mundo.

 

Voltar

Compartilhe com seus amigos

1 Comentario(s)

Mara Chaves disse:

Quem fez está de parabéns.

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado.