A Mágica da Serendipidade

Se você nunca ouviu essa palavra, Serendipidade é a arte de encontrar uma bela surpresa, quando na verdade se buscava outra coisa. Aparentemente significa descobrir algo maravilhoso assim por acaso, por sorte… se bem que o acaso e a sorte, na verdade, só acontecem para quem acredita neles e está preparado e pronto pra se aventurar.

Quando a gente se abre para o desconhecido, deixa o controle de lado e permite que a vida possa nos surpreender positivamente.

Todo descrédito, todo pensamento negativo formam uma espécie de barreira no fluxo dos acontecimentos. Impedem o acaso de te procurar com aquele jeito distraído, dissimulado, mas na verdade, cheio de planos pra você.

Pra quem quer a origem desse anglicismo, Serendipity, foi um termo criado pelo escritor Horace Walpole, no século 18, a partir de um conto persa, Os Três Príncipes de Serendip, nome do antigo Ceilão, hoje Sri Lanka. Na história eles descobriam soluções acidentalmente, por acreditarem na vida.

Serendipidade é usada com frequência na ciência, na química e medicina, quando buscando um propósito, acaba-se descobrindo casualmente uma nova cura ou invenção.

Um exemplo de Serendipidade na época dos descobrimentos, quando Cabral, que dizem seguia em busca às Indias, acaba descobrindo o Brasil.

Seja como for, Serendipidade define a capacidade ou fenômeno ou a agradável surpresa de encontrar algo totalmente inesperado quando estamos na busca de uma outra coisa.

Isso só acontece quando nos colocamos num estado de uma certa liberdade de flanar na vida. Quando vamos um pouco mais leves e distraídos na direção do que queremos, quando a nossa intenção acontece sem tanta tensão. Mas com muita atenção.

Porque faz parte da vida, buscar uma coisa e encontrar outra pelo caminho. Ter flexibilidade, estar aberto a novas oportunidades não significa perder o foco, mas sim, aprender a surfar nas ondas, não lutar contra a correnteza e diminuir o desgaste, compreendendo como lidar com as circunstâncias. E sabendo que a rigidez nos afoga.

Olhe pra trás na sua vida, pense e me responda:

Quantas coisas que você quis e não aconteceram?

Em compensação, quantas outras coisas ótimas aconteceram, justamente como consequência daquilo que não aconteceu?
Quantos aparentes fracassos, na verdade, acabaram trazendo vitórias?

Foram sempre necessárias algumas derrotas para que muitas conquistas acontecessem. Muitas vezes sem que a gente nem perceba, porque estamos tão ocupados olhando o problema, nem conseguimos ver o grande desenho da solução.

Uma vez escrevi que as fadas só aparecem quando a gente tá relaxada. Eis o segredo. As coisas só acontecem quando a gente deixa fluir, a gente só ganha quando aceita perder, porque a aceitação é a grande chave.

Com certeza a vida ainda vai trazer muitas surpresas boas, basta a gente ficar aberto ao imprevisto, ao prazer do acaso e confiar na sorte.
Ter um propósito e agir, um pouco levando a vida, um pouco deixando ela nos levar nessa aventura do desconhecido. Essa é a mágica da Serendipidade.

 

Voltar

Compartilhe com seus amigos

3 Comentario(s)

Zirlande Freire Amaral disse:

Leitura leve que preenche a alma. Obrigada

Ana Elizabete Lopes Ribeiro disse:

Que beleza! Como é bom aprender coisas novas!! A gente vivencia a situação mas não sabe o nome! Obrigada, Bruna! Ler e ouvir você me faz um enorme bem! Abração!

Aparecida Oliveira dos Santos disse:

Magnífico minha linda,vc sabe tocar no fundo da minha alma,suas palavras me deixa cada vez mais admirada por tudo que vc faz.Beijos minha querida.

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *