A Arte é feita de momentos roubados

O artista espera quando o momento exato se ilumina e ele o rouba. Ele registra aquela imagem na sua memória, se apropria daquela emoção e a guarda em algum lugar da alma, onde se armazenam as coisas que nos marcam.

Mais tarde, quando finalmente está sozinho no seu espaço, ele usa sua criação e transforma aquela amálgama de sensações em algum coisa que parece próxima, íntima, parece que agora não será mais perdida.

E cada momento roubado ganha magia, nova vida, novo significado.

Aquele instante de vida, que passaria despercebido pra maioria, agora vai se tornar permanente. Tem agora outra tradução, vira história, foto, quadro, música, poesia. Aquele momento que quase não se notaria de tão sutil, invisível, desimportante, agora se torna forte, grande, tem luz própria, desafia seu criador.

Aquela emoção ali guardada está segura, se redimensiona e ousa atravessar o tempo. Vai do passado onde aconteceu e foi capturada pelo artista, para o presente da obra e depois, em seguida, vai se projetar e continuar até encontrar seu público e através de cada um vai se multiplicar em milhares de novas sensações individuais.

Já não pertence ao artista que a criou, agora pertence a um futuro infinito, atingindo todos nós que teremos a emoção de vivenciar esse momento que nunca vimos. E não será mais um momento perdido.

Todo artista é uma espécie de Prometeu, que rouba o fogo sagrado dos deuses e o oferece aos mortais. O seu castigo é que todos os dias sua arte o devora e sua busca continua. Mas essa é também a sua benção. Distribuir generosamente sua alma é o trabalho do artista.

Ele rouba as emoções do mundo e nos devolve o que sem querer perdemos.

Às vezes uma doce capacidade de observar o imperceptível, a delicadeza do olhar, uma sensação antiga, uma memória. Uma música ao longe, uma voz cantando pra ninguém. Um sabor, um cheiro, uma brisa no rosto, um gesto esquecido. Um trem que deixa uma estação, alguém acenando, alguém chorando, lugares onde pessoas deixaram um sentimento.

Alguém que espera alguém, um amor que não se revela, um abraço, um café, uma guitarra. Uma lembrança que nem é nossa, um amigo que não tivemos, a nudez de uma mulher que nunca conhecemos.

Atrás das janelas dos apartamentos existem milhões de desejos, segredos e histórias que se escondem na cidade.
Existem mistérios nas noites, paixão, dor, intimidade. Existem destinos. Em cada um a solidão e a solidariedade. Escolhas. O medo da impossibilidade e a esperança de que tudo é possível.

Todos os dias tecemos o fio da vida com essa realidade que nos embrutece, endurece nossos sentimentos, intoxica nossos pensamentos. A arte nos traz a beleza, o conhecimento, a sensibilidade que podem servir de contraponto e equilíbrio pra isso tudo,

Quando o artista rouba momentos da vida e os transforma, ele nos transforma a todos. Traz um novo significado ao que vemos, uma nova perspectiva. Nos faz lembrar que somos todos feitos da mesma matéria que são feitas as estrelas.

Voltar

Compartilhe com seus amigos

2 Comentario(s)

Riva disse:

A vida passa tão rápido que as vzs embebidos em nos mesmos, esquecemos de observar a generosidade da beleza do mundo ou os outros com suas qualidades próprias e nos perdemos no tempo com mágoas e frustrações.
Mas nada como o tempo e a arte
pra nos refazer e lembrar que o sol e o frescor da chuva nascem pra todos.

Katiamota disse:

Verdade bruna me

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *