Consciência nossa de cada dia

Quantas vezes me deparo com a cena de mesas de restaurantes repletas de alimentos após os clientes pagarem as contas… Mesmo em caros buffets, onde o consumidor tem a prerrogativa de servir-se diretamente, os excessos cometidos redundam em alimentos que vão parar nas latas de lixo! Quanta chuva, quanto sol, quantas sementes, quanta terra e quanto suor laboral acompanham os gestos de um garfo raspando do prato a comida que não se comeu, a vida que não se vivificou. A necessidade de preenchimento interno e a noção gravada no inconsciente de que se deve lutar para sobreviver, impõe toda ordem de ansiedade e automatismo que gera insensibilidade nas atitudes diárias, condicionadas a programação cada vez mais ilusória do deus Cronos (o relógio)!

Nesta corrida engrandecemos a competitividade e reforçamos a ilusão paradigmática da escassez. Quando estabelecida, esta ideia da falta, ela gera a necessidade insaciável do ter. As referências distorcidas de felicidade atreladas aos “excessos do ter”, geram acúmulos desnecessários e desperdícios insanos.

O poder transformador desta forma de viver lamentável que destrói a vida de milhões de seres vivos inutilmente e retroalimenta a “paranóia coletiva”, pode e deve ser cessada. Você e eu somos os ativistas desta mudança. Reconectar com sua dimensão essencial é parte desta revolução pacífica, porém de poder incomparável.

Na medida que manifeste o autocontrole sobre os impulsos instintivos do ego, que se avalie o padrão dos desejos, uma imensa proporção de problemas já é evitada. É incrível perceber que o desequilíbrio entre a natureza e o ser humano é reflexo do desequilíbrio na noção de consciência do ser Humano sobre a sua natureza Interna.

Enquanto acreditar ser vulnerável a matéria, tenderá a querer dominá-la, controlá-la, submetê-la por conta da Ilusão do medo de ser subjugado por ela. Quando entender que o externo é mero reflexo e projeção do Interno, estará naturalmente e pacificamente no controle da Vida Aparente sem evitar a dor e perseguir o prazer.

Gilberto Lima Jr Internacionalista, meditador, empreendedor dos segmentos de Inteligência Artificial, Automação, Blockchain e Biotecnologia glima06@gmail.com
Voltar

Compartilhe com seus amigos

2 Comentario(s)

Gilberto Lima Jr.'. disse:

Oi Rafael, visto pela ótica da Autorresponsabilidade e noção de integração com o Todo não há mesmo o que Controlar a não ser a própria Consciência! Um Forte Abraço! Namastê!

Rafael Farias disse:

Não concordo muito c/ ” controle da vida “, achoi que temos que curtir, e deixar de lado essas ” frescuras ” de contolres e etc….

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Jornadas de Conhecimento