A gatinha sensitiva e Yoga

Era fim de tarde, já quase noite, o céu estava com aquela cor azul índigo que parece um manto das Mães Marias, quando se mistura a luz do dia e a chegada da noite.

Senti vontade de praticar Yoga.

Meu corpo e minha mente sempre recebem isso como um presente, pois a Yoga mais difícil é aquela prática fora do tapetinho, quando a gente fica atento pra estar desperto o tempo todo.

Pra quem não sabe, o significado de Yoga é UNIÃO, é aprender a vivenciar um estado de conexão constante.

Logo que me sentei e fechei os olhos, percebi a presença da gatinha sensível na sala de vidro em que eu me encontrava (em todos os sentidos).

Não era a primeira vez que ela se aproximava de mim pontualmente em algum momento onde minha energia estava a flor da pele e então cuidávamos uma da outra.

Me deitei no chão com o corpo todo solto, praticando uma das posturas consideradas mais difíceis pelos antigos iogues, que é a postura de Shavasana (ou a postura do morto) quando você simplesmente abre mão de todo controle e se entrega.

Como em um fluxo, entre uma respiração e outra, o próprio corpo vai nos conduzindo aos asanas (posturas). É como se houvesse uma inteligência interior que sabe exatamente aquilo que precisa ser trabalhado. A gente só precisa aprender a escutar.

A gatinha, sábia que só, passou o tempo todo deitada observando. Hora com os olhos abertos, hora em meditação.

Às vezes sinto que o tempo muda de velocidade quando estou meditando ou praticando yoga, e eu já não sabia a quanto tempo estava ali.

Sentia uma energia forte e pulsante fluindo dos dedos dos pés até o topo da cabeça.

Da pele pra dentro e do coração pra fora, algo sutil reverberava. E pelo jeito a gata sensitiva também percebia essa energia, pois assim que me entreguei novamente a shavasana, para sentir os efeitos do trabalho interno, ela veio perto do meu rosto e com delicadeza tocou minha bochecha como quem me chamasse.

Eu sorri pra ela e voltei a fechar os olhos.

Sabendo que seria bem vinda, ela foi subindo com toda leveza em cima de mim, deitou em cima do meu coração e também fechou seus olhos.

Ficamos um tempo ali, trocando ronronos e batimentos cardíacos.

Quando me espreguicei, ela fez o mesmo e nos sentamos.

Fiz um carinho nela de agradecimento e ela gentilmente colocou sua patinha em cima da palma da minha mão que estava voltada pro céu e ali permanecemos.

Eu não sei exatamente o que ela estava fazendo, pois acredito que há magias de gatos que só eles entendem. Mas começaram a escorrer lágrimas atrás de lágrimas pelos meus olhos, de gratidão e limpeza.

Eu me senti preenchida de amor, senti como se dentro e fora de mim fossem lugares seguros.

Depois de alguns minutos, dei um beijo no topo da sua cabeça e a agradeci com todo meu carinho, retribuindo o cuidado e amor que havia recebido.

E agradeci a mim mesma pela escolha de cultivar esses instantes de autocuidado.

De uma coisa eu tenho certeza, yoga e gatos são grandes professores da vida.

Carla Labate Atriz, professora de yoga e meditação, com o propósito de compartilhar consciência através da arte labate.carla@yahoo.com.br

Voltar

Compartilhe com seus amigos

2 Comentario(s)

Rafael Farias disse:

Queria fazer uma pergunta. E gostaria muito da resposta.
Vim aqui na página de Pets justamente pq estou prcisando.
O meu gatinho está c/ sarna, essa sarna fica perto do rabo dele, nas costas ali embaixo, pegou também o rabo dele, e a barriga.
Já usei alguns medicamentos como, Sarnen _ Spray, Ivercanis 3 mg de 10 em 10 dias e também o Amitraz.
Não estou tendo mutos resultados, queria parar essa sarna, mas diminui e volta, e agora não diminui mais……oque fazer ??
Existe algum medicamento p/ me ajudar c/ a sarna do meu gatinho ??
Se tiver, me passem ……ok
Abraços e boa noite.

Rafael Farias disse:

Sobre Yoga, já fui num lugar que muitas pessoas ou adeptos a Yoga praticam a yoga lá.
Esse lugar se chama ” Mãe D’ água ” fica numa fazenda perto de Belo Horizonte_MG.
Sou de Bh e fui convidado a ir lá p/ ver a fazenda, os praticantes de Yoga, e ver tbm o Sol entradecer, pq todos diziam que o Sol lá qdo entradecia ficava GRANDE , muito grande….. era de admirar…..rsrsrs
Vc já ouviu falar da fazenda Mãe D’ água ?
Foi lá que fui
Abraços e boa noite

Comente esta publicação:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Relacionamento